Resenhas Críticas

RPPN – REVECOM pede Socorro!

30 de março de 2016

author:

RPPN – REVECOM pede Socorro!

ORAÇÃO – C0OPERAÇÃO -CORAÇÃOAÇÃO -DOAÇÃO – DOE!

Não se constrói um mundo melhor só com vontade, não basta concordar que a terra agoniza, que o caos toma conta, porque a inércia, ela paralisa, bloqueia, impede o ato, e quando se trata de natureza, fauna e flora, a inércia permite que a erva daninha tome conta, que os predadores ataquem, que as espécies sejam extintas. A RPPN – REVECOM é uma reserva ambiental, que vai além da proteção, sua grande missão é lutar, trabalhar e se doar para MANTER os animais na natureza. Sua nobreza está no trabalho incansável de educação ambiental para crianças e jovens em idade escolar, e preparar agentes multiplicadores que garantam uma maior consciência ambiental e possam ser agentes de proteção.  Unidade de conservação rppn revecom, nosso pequeno paraíso, encravado na área urbana do município de santana, estado do amapá. São 171.000 metros quadrados tombados como unidade de conservação e mais 30.000 metros quadrados de entorno que lutamos para conservar.

“Paulo Amorim era médico no Rio de Janeiro quando, há 39 anos, decidiu mudar-se para a Amazônia. Nesse tempo o Amapá ainda era um tapete verde, um verdadeiro santuário que englobava diversos ecossistemas, transitando entre o Cerrado e a Floresta Amazônica.”   (Trecho da matéria http://viajeaqui.abril.com.br/national-geographic/blog/joao-marcos-rosa/2011/10/31/um-guardiao-no-amapa/)

Santana_AP, 28 de Agosto de 2011.
Paulo Amorim, diretor da RPPN Revecom.
FOTO: JOAO MARCOS ROSA / NITRO

Há dezessete anos nasceu a Unidade de Conservação (UC) Reserva Particular do Patrimônio Natural REVECOM (RPPN REVECOM). Suas atividades são : Educação Ambiental,Programa de atendimento a Fauna Silvestre, Aulas Passeio,Atendimento gratuito à população carente e Trilha Ecológica adaptada a Cadeirantes e deficientes visuais. Para manter esta estrutura a reserva conta com quadro de funcionários e voluntários, as despesas básicas (longe do ideal) mensais hoje estão na casa de R$ 15.800,00, isto sem mencionar os valores de contas em atraso. Recebemos no mês de Janeiro/16 doações diversas no montante de R$ 3.190,00, fechamos o mês devedores em R$ 12.610,00 mais as dividas já acumuladas de meses anteriores, isto nos dá um cenário desesperador. Sem renda para consertar as trilhas e passarelas danificadas a reserva ficou sem a receita das visitas e passeios ecológicos,  a maioria das empresas que colaboravam e cortaram com justificativa da crise.

O Cenário é desesperador, olham as contas estão vermelhas, olham pela janela vê-se os primatas e vem a lembrança que consomem pelo menos 80kg só de banana por mês, são quilos e quilos de carne para os felinos e rapinantes. Toca o telefone tem sempre alguém pedindo ajuda para atendimento,para continuar atendendo dezenas de animais tanto na floresta-santuário ou em logradouros,a reserva precisa da sua ajuda.

Além das atividades de educação ambiental, existe o trabalho de resgate, cuidados médicos e sempre que possível todo um trabalho de reabilitação para reintrodução na natureza. Hoje Nosso estoque de animais “ex” e “semi ex situ” é constituído por: uma onça pintada que caminha para os 13 anos de idade; uma anta de 16 anos; uma jaguatirica, dois caitetus com mais de dez anos, uma harpia adulta como mais de oito anos de vida; um murucututu com nove anos de vida (este teve as garras amputadas por uma linha com cerol); dois macacos pregos como mais de quinze anos; um urubu que teve a asa quebrada e não pode voar; dezenas de cotias e pacas;dois periquitos do encontro amarelo , uma delas esperança foi vitima de pedrada o outro encontrado muito fraco e doente; um maracanã-guaçu (Ara severus) com sequelas de ataque de formigas (Solenopsis) ao cair do ninho, um periquito rei, três corujinhas do mato (Megascops choliba) com sequelas de traumas por pedradas (todas como mais de cinco anos); uma jiboia que sofreu traumatismo craniano e não sabe nadar; dois bando de primatas (macacos de cheiro e saguis de mão amarela) com mais de 25 animais; um pequeno biotério. O estoque “in situ” é enorme e habita a floresta que compõe a Unidade de Conservação RPPN Unidade de Conservação Rppn Revecom.Temos ainda várias dezenas de Geochelone carbonaria.                              

Doações através da corrente: Banco do Brasil. Ag: 3346-4; CC 32.901-0; CNPJ 01.477.979/0001-56. Atenciosamente, Paulo Roberto Neme do Amorim – Gerente Técnico Voluntário Se desejar mais informações ligue para: (96) 99971-2155 ou (96) 3281-3849 https://m.facebook.com/rppn.revecom/

error: Conteúdo protegido