Resenhas Críticas

Vou Doar meu Papagaio!

24 de setembro de 2017

author:

Vou Doar meu Papagaio!

Fiz questão de publicar esta matéria, para que possamos abordar um assunto mais comum do que a maioria pensa, mas que faz parte da realidade hoje de pets com expectativa de vida tão altas.

Primeiramente, não é o momento para julgamentos, já sabemos todos que vão vir, coisas do tipo: “Uma mãe não abandona um filho! ” ou “Quem quer mesmo dá um jeito!”. Cada um sabe o tamanho do seu problema, a carga que pode aguentar, então, vamos pular esta etapa, já que a ideia aqui é única e exclusivamente aprender com isso.

Recebemos o contato de uma seguidora, dedicada, responsável e que já acompanha há um bom tempo nosso trabalho. Ela estava triste e senti até constrangida, algumas decisões na vida não são fáceis de tomar, mas precisam ser tomadas, ela adquiriu a dois anos atrás um papagaio legalizado e não tinha mais condições de ficar com ele.

Ela explicou o que estava acontecendo e nos pediu autorização para fazer um anúncio de venda do seu papagaio. Particularmente tenho uma opinião clara sobre este tema, que é: Um bicho Pet se torna membro da família, eu consigo entender uma mãe que em um ato de desespero e visando o bem-estar e segurança do seu filho, o entrega para uma família cuidar, mas, não consigo monetarizar um filho, nem um membro de minha família, nem colocar um preço no amor. Espero nunca precisar chegar num ponto da minha vida, que precise tomar uma decisão dessa, mas já refleti muito sobre, prefiro buscar um lar de amor, de alguém referenciado, que ame bicho e que vá dar uma vida digna como dei. Eu acho mais justo e nobre com o bicho, mais respeitoso com sua história e o que representa para a família. Fiz a minha parte e indiquei um tutor que eu sabia que daria uma vida a altura que eles mereciam, ela para ter um conforto de saber que ele seria bem cuidado e viveria feliz com outros papagaios, e ele , que sentirá a mudança, mas será acolhido com tanto amor pelos humanos, como também a oportunidade de conviver em um bando com outros papagaios de sua espécie, acho que no fim, todos ganharam, e Deus é sempre perfeito na sua condução.

Importante saber: Em caso de doação ou venda de uma ave silvestre legalizada, as partes deverão preencher um termo de transferência, o modelo pode ser encontrado no site do Ibama, preencher e registrar em cartório, manter guardado junto a nota fiscal.

Relato da tutora:

“Por uma mudança em minha vida tive que tomar uma decisão muito, mas muito difícil. Em uma certa manhã tive que decidir em “desfazer” de alguns dos meus animais. Um deles era o Dudu (Amazon), sem saber o que fazer, e nem por onde começar, o primeiro pensamento foi em vender, por que eu achava que se eu vendesse o Dudu quem comprasse ia cuidar melhor do que se adotassem, engano meu! Fui procurar a página Diário de Um Papagaio e pedir permissão para fazer um anúncio de venda, foi quando fui super mega orientada pela Adna a não vender e sim doar, e que me daria até uma sugestão para uma adotante, uma pessoa que tinha perdido umas de suas filhas de penas a pouco dias e que faria muito bem a ela receber uma nova ave. Foi quando conheci a Adri Raguza, que mulher incrível, de uma força incrível, tudo nela incrível, rs. Com uma família incrível e que ama animais. Com a pouca conversa que tive, já foi a decisão que o Dudu iria para ela e que teria muito mais carinho, muito mais atenção, e seria muito melhor tratado, muitas outras coisas, fora as companhias dos irmãos de penas, não que eu não desse nada disso, mas minha vida estava tão corrida e tão virada de cabeça para baixo, que estava ficando muito sozinho e eu achava muito ruim, afinal quem e que gosta de ficar sozinho não é? Quem é que gosta de receber comida um agrado e não ter atenção de seu tutor? Ninguém

Para finalizar, o Dudu hoje pertence a Adri e sua família, quero agradecer a Adna pela indicação, não tinha outra pessoa melhor que a Adri para ser a nova mãe do Dudu (ou duda, chamo Dudu mas ele ou ela não é sexado , ela vai fazer e nos contar). Obrigado pelo carinho pelo amor que foi no primeiro contato, só quem viu para acreditar na sintonia que teve um ao outro.

 Dudu meu amor, seja muito feliz nessa família!!! Você é um anjo veio com um propósito em minha vida e cumpriu, e teve outra missão como um anjo de ir para a vida da Adri. Eu sempre te amarei e com certeza eu vou aí te ver logo, logo.” (Mery Lima Trillo)

 A ideia é levar você seguidor, que tem um papagaio ou qualquer outro psitacídeo, como também pessoas que estejam pensando em adquirir um reflita muito, pense muito antes de comprar, estes bichos são projetos a longo prazo, a maioria vai viver entre 30 a 80 anos, tem relatos de cacatuas com 120 anos, nesse meio tempo, você pode:

-Decidir morar ou estudar fora – É muito difícil sair/voltar com essas aves para o Brasil.

-Fazer mestrado doutorado

-Se mudar de casa

-Desfazer um casamento – Nesse ponto é bem complicado dependendo de sua condição financeira, um cachorro ou gato você enfia no carro e leva para qualquer lugar, mas grandes aves e seus viveiros?

Tem muitas outras questões que são importantes pensar, nossa vida em 5 anos muda muito, em 10 ou 20 pode virar de cabeça para baixo.

Deixamos aberto também o espaço ao debate, mas um debate sadio, deixe sua opinião, só pedimos que evitem os julgamentos desnecessários as decisões alheias, perguntamos a vocês: Ao não ter mais condições de cuidar, o tutor deve vender ou doar seu bicho, porque?

error: Conteúdo protegido