Tráfico de Animais Silvestres

Entre Traficantes e Caçadores – Nossa Fauna Pede Socorro

7 de outubro de 2017

author:

Entre Traficantes e Caçadores – Nossa Fauna Pede Socorro

Algumas histórias são bem difíceis de contar, mas são necessárias para que como sociedade possamos refletir sobre.

Ela é uma Maritaca, nascida em vida livre, e que se não fosse pela ação do homem, hoje o maior predador das aves silvestres e com maior potencial devastador, ela poderia estar livre, atravessando céus. Porém num dia que parecia ser mais um entre tantos, um praticante de “caça” resolveu praticar o que considera “esporte” abatendo aves seja em área urbana ou rural.

Antes de entrarmos no relato de fato, gostaríamos de alertar que a caça é proibida no Brasil, porém, com a facilidade de aquisição e porte das armas de pressão, carabinas ou chumbinho, que não são consideradas armas de fogo, é comum, mesmo que proibido, a prática desse “esporte” tão cruel. E mesmo sendo proibido, não é difícil achar nas redes sociais vídeos ensinando esta “arte”. Além disso muitos grupos de pessoas chegam até fazer competições.

Nossa fauna já tão devastada, machucada, destruida, agoniza lutando contra um mesmo inimigo o “Ser Humano”, divididos em vendadeiras equipes de combate, e não é dificil saber quem são: Industrias , caçadores, traficantes, população em geral que suja, modifica, altera todo o bioma. Quisera eu pensar que o tráfico de animais é nosso maior problema, desolador isso….

Quando como pessoas, precisamos a título de diversão, predar, matar, mutilar, causar dor, destruir, certamente estamos doentes, aleijados quanto nossa humanidade, carentes de amor e consumidos pela ganância, inveja, maldade, egoismo…..

Eu não consigo esquecer, e se eu que estou aqui, fico lembrando que todas as tardes o bando vai na casa da salvadora da ave buscar ela, chama, implora sem entender porque ela não voa em direção a eles, quem dirá a tutora humana dele, que tem que assistir isso todos os dias. Me tortura imaginar essa ave, impotente, marcada, mutilada, sem poder mais voar, sem poder jamais voltar pra casa. Todos os dias, enquanto viver, como a clássica história do amor entre o sol e a lua, todos os dias, vão se ver por uns instantes, sem poder se tocar, sem poder jamais viver esse amor, sem seu parceiro, sem sua família, sem seus amigos de penas. Um pequeno coração de asas violentado de todas as formas possíveis, isso me revira o estômago.

 

 

Deixo aqui o Texto de Márcia Maria que resgatou essa ave.

 

“A intenção deste post é fazer chegar ao maior número de pessoas possíveis o conhecimento da maldade humana, e, quem sabe fazer chegar ao criminoso, verme e nojento o quanto ele é desnecessário no universo. (Ressalvo que NÃO QUERO SABER QUEM FOI O FDP, ok?).

Fato ocorrido em Monte Santo de Minas – MG

Vamos compartilhar, vamos mostrar que o mal nunca vai vencer o bem. O Amor ainda supera toda e qualquer maldade!

Numa tarde de domingo dia 24/09/2017, escutamos um som não comum, de um tiro, porem característico pelo seu estampido, som seco. Corremos ao quintal para ver se havia alguma anormalidade e não vimos nada, mas, minutos depois veio uma amiga (vizinha) nos pedir socorro, pois havia uma maritaca machucada em seu quintal.

 
Não pensamos duas vezes corremos já com uma gaiola e uma toalha em mãos (já somos escoladas em resgate de animais com graduação em aves, rs), e, nos de paramos com uma maritaca se debatendo no chão, de imediato vimos que era algo em sua asa, mas não sabíamos o que era de fato. Trouxemos aqui para casa e fomos ver o que tinha acontecido. Entramos em choque quando visualizamos perfeitamente o “buraco” que a munição de espingarda de chumbinho havia feito. Até aí não tínhamos noção da gravidade. Entramos em contato com o Dr. Caio, veterinário o qual eu confio a vida de minhas aves e a Dr. Giulia também veterinária na clínica, que nos orientaram de pronto em como proceder até que levássemos à clínica. Mediquei a ave para amenizar a dor, mas meu coração latejava ao ver aquela ave com tanta dor. 


Na manhã seguinte estávamos nos lá na clínica e para minha tristeza e decepção, após uma avaliação minuciosa o veterinário nos informou que a única opção seria a de amputar a asa atingida, pois o tiro atingiu toda a articulação da asa destruindo-a totalmente, dilacerando completamente. O que ainda segurava a asa era a pele. Imaginem a dor que esta maritaca estava sentindo… 


Deixamos ela internada na clínica, não demorou muito para o veterinário entrar em contato comigo e informar que não seria possível realizar a amputação, pois a ave havia perdido muito sangue e a coagulação dela não estava boa, não seria viável fazer a amputação sem antes estabiliza-la e fazer as devidas medicações. Mais um dia de angustia e eu ligando direto na clínica para saber como estava a ave… Meu coração estava apertado e também dilacerado, mas minha razão me acalmava por estar nas mãos e sob os cuidados de um veterinário tão experiente (apesar da pouca idade, rs) e humano, além uma generosidade infinita…
No dia seguinte 3ª feira a ave ainda estava se estabilizando para aguentar a dimensão da cirurgia, que não simples assim.

Enfim 4ª feira dia 27/09/2017, depois de quase 4 dias após o ato criminoso e covarde, ela vai enfim para a cirurgia, que graças a Deus e a dedicação do Dr. Caio a ave sobreviveu 

                                       

 

Pela tarde fomos lá visitar a Mariquinha, encontramos ela ainda meio abatida querendo estar animada pelo alivio da dor, afinal a cirurgia/amputação foi muito complexa. 

 

                        

 


Depois de muitas explicações e orientações a ave recebeu alta médica. Foi um alivio imenso, pois ela já não corria tanto risco de morte! Pagamos as despesas e compramos todas as medicações, entre anti-inflamatórios, antibióticos, vitaminas e afins. Por falar em despesas e custos, eu gastaria 10x mais para preservar a vida que um fdp tentou tirar.


Bom… trouxemos a bichinha… Acomodamos da melhor forma possível dentro de casa para abrigar do vento e do frio. Para nossa “recompensa” ela nos olhava sorrindo, sim sorrindo com gratidão infinita. Isso não tem dinheiro que pague… 


De domingo 24/09/2017 até quarta feira dia 27/09/2017 eu estava com muita pena e dó da ave, mas a partir de hoje não sinto mais pesar por ela, e sim por quem foi tão desumano e covarde com esta ave, creio num DEUS do impossível, bondoso, generoso e Pai. Tenho até medo do dia que DEUS for cobrar este miserável, infeliz e excomungado pelo o que teve coragem de fazer. Toda a Mão de um PAI pesa na hora de corrigir. Infelizmente quando não se aprende no amor se aprende na dor e a vida não é tão delicada assim para ensinar… 
Peço muito a DEUS que eu nunca saiba quem foi o verme maldito que fez isso, pois é muita crueldade. Inaceitável. Pior de tudo é que eu escutei o som seco do tiro de espingarda aqui de casa. Mas DEUS em sua infinita misericórdia não vai permitir que eu saiba quem foi. Não pelos valores que despus para salvar o “bichinho”, mas sim pelo meu sentimento de fazer justiça pelas próprias mãos. Não perdoou quem fez isso. (Os santos e puritanos de plantão podem me criticar…)


Para quem me conhece sabe que eu não posto fotos de animais ou pessoas ensanguentadas, mutiladas ou afins, mas hoje vou postar sim. Quero mostrar até onde a covardia e a maldade humana podem chegar. Esta ave terá que viver o resto de sua vida aprisionada, (dado que ela é uma ave jovem), ela NUNCA MAIS vai poder voltar ao seu habitat natural, onde nasceu e viveu até o dia fatídico. Soltar esta ave depois de recuperada é fazer pior do que fez o maldito que atirou nela. 

 

O que será que sente esta ave ao ouvir tantas maritacas como ela voando e gritando pelo céu com seu espetáculo de cores e acrobacias?


Ontem dia 01/10/2017, nos foi impossível conter as lagrimas, quando vieram duas maritacas buscar a que estava aqui. Doeu de ver a nossa maritaquinha querer voar junto com os amiguinhos que vieram busca-la e não ter mais asas para voar… Ela tentou num impulso, deve ter esquecido que perdeu uma asa, e nessa tentativa foi ao chão.

 

Como perdoar a pessoa que fez isso com ela?

Quantas outras aves esta pessoa já não fez isso?

Quantas outras ele já não matou?


Lembrem-se quem faz isso com animais, certamente faz ou fara com pessoas…

Quero enfim, agradecer todos os amigos que me deram a maior força e apoio (não vou citar todos os nomes pois graças a DEUS foram muitas pessoas), por nenhum momento me senti sozinha ou incapaz de chegar onde chegamos.

 
Mas eu não posso deixar de agradecer aAdriana Farris que teve a sensibilidade, generosidade e iniciativa de nos chamar para resgatar a maritaca. Nil Souza por estar em todos os piores momentos comigo, com ou sem as doloridas bicadas e enfim Dr. Caio Moraes e toda a sua equipe da Clínica veterinária São Francisco em Mococa (Giulia e Cris) por toda a dedicação, carinho e Amor que tem com todos os animais. Santo Caio, 3ª vez que ele salva as minhas aves!

OBS¹.: A gaiola que aparece nas fotos foi a gaiola para resgate e transporte, hoje ela se encontra num viveiro muuuuito maior e adaptado às necessidades dela.

OBS².: As fotos que não estão enumeradas são fotos recentes. Fiz até uma antes/depois, nem dez dias de Amor e carinho e a mudança é surpreendente!

OBS³.: Já providenciei o exame de DNA para saber se é RITINHA ou CHICO.

error: Conteúdo protegido