Resenhas Críticas

Qual o momento certo para comprar uma ave? Será que estamos preparados?

28 de agosto de 2018

author:

Qual o momento certo para comprar uma ave? Será que estamos preparados?

Muitas pessoas fazem contato conosco perguntando qual o valor do papagaio, da arara, do tucano, da jandaia, etc… Muitas vezes, o motivo da compra é para substituir uma ave que fugiu, uma ave que veio a óbito, ou para dar de presente para um ente querido que perdeu sua ave recentemente.

Em muitos casos, era um papagaio que já estava na família a décadas, e morreu deixando um idoso (pai/mãe ou avô/avó) ou uma criança triste e até mesmo deprimido.

Algumas pessoas querem dar de presente: – para uma criança, um filho(a), um sobrinho(a), um(a) namorado(a), marido, esposa e por ai vai…mas o que muitos não se dão conta, é que este pode não ser o momento certo para dar uma ave de presente, eu particularmente, acho que nunca se deve dar um animal de presente, pois exige muita responsabilidade de quem recebe, salvo exceções, quando a pessoa que vai receber o presente já cria aves, conhece do manejo.

Para receber uma ave, principalmente filhote, é preciso levar em consideração, que esta ave precisa de cuidados muito específicos, pois trata-se de um filhote. Manter a temperatura ambiente adequada, umidade do ar, dar papinha algumas vezes ao dia, e aqui o principal e maior problema, nem todos estão aptos a dar papinha para um filhote, motivo de muitos óbitos de aves.

Há que se pensar ainda, que uma ave requer investimento financeiro, uma ave nascida em cativeiro, devido a criação de seus pais, não deveria receber alimentação a base de mistura de sementes, a dieta deve ser rica, variada e balanceada, deve ser baseada em rações extrusadas, frutas diversas e castanhas. Deve se ter um viveiro de tamanho adequado, onde preferencialmente a ave consiga dar pequenos voos, subir e descer, e isso não custa muito barato.

É preciso investir o que menos temos hoje em dia, o tempo  para os cuidados diários até que a ave seja independente e passe a comer sozinha, a atenção para brincar e interagir com a ave.

Para o manejo adequado de uma ave, é preciso manter o recinto limpo, pelo menos 2 a 3 vezes por semana, limpeza geral. É preciso ter tempo para limpar e cortar frutas. Todos os dias os potes de água devem ser lavados e substituídos, e por muitas vezes, quando acabamos de trocar a água, ave vai lá e faz cocô no pote de água, e precisa ser trocado novamente!

E as “bolinhas” de ração que elas jogam no chão? Não adianta reclamar, elas desperdiçam mesmo!

Quando trabalhamos para a reprodução de uma ave, em especial a família dos psitacídeos, as aves de bico torto, são as que mais interagem, portanto, são as aves que mais nos apegamos.

Quando recebo esse tipo de mensagem ou ligação eu sempre pergunto: – será que a pessoa que você vai dar a ave está pronta para receber a ave?

– aves não são objetos que substituímos quando perdemos ou quebramos, você pode comprar um papagaio exatamente da mesma cor, tamanho e sexo do anterior, mas, estamos falando de um ser vivo, que tem senciência, tem seu jeito de ser, nunca será igual ao anterior, e aqui começa um novo problema, pois a pessoa vai ter que cuidar de uma ave que talvez nem vai chegar perto dela! Será que o momento em que uma pessoa está emocionalmente fragilizada é o melhor momento para receber uma ave?

– os psitacídeos vivem longos anos, papagaios vão além dos 70, araras além dos 50, e quando o idoso(a) morrer, quem irá cuidar da ave? Está é uma pergunta que parece muito cruel de se fazer no momento da venda, mas é preciso, se você der um papagaio a um idoso, o papagaio irá viver muitos anos após a morte deste idoso, e pra quem vai ficar o “problema”? Considerando que papagaios pareiam com apenas uma pessoa, e aí vai para a casa de um filho/filha, chegando lá o papagaio se transforma no “demônio da tasmânia” e ninguém mais quer a pobre ave, que não tem culpa de nada, e não entende nada, para ele, apenas foi separado do idoso que ela tanto gostava!

– se for para dar para crianças, no nosso caso, optamos por não vender, só vendemos se percebemos que na verdade é a mulher da casa que quer um papagaio de presente do marido, e acaba dizendo que é para a criança, risos… isso acontece, as vezes a pessoa quer comprar, mas não tem a coragem para essa investida e acaba dizendo que vai para o filho ou filha, mas na verdade quem vai assumir a responsabilidade é um adulto.

– e quando é um casal de namorados ou noivos querendo comprar…humm eu logo penso: -se houver uma separação para onde vai a pobre ave???  Será que é o momento certo? Não seria melhor casar primeiro? ter uma casa já definida onde seja possível ter uma ave que faz barulho? E se a pessoa for morar em um apartamento, onde vai ficar a ave?

Será que idosos vão ter condições de cuidar sozinhos de um filhote que vai na papinha? Não quer dizer que não possam ter, alguns idoso fazem de tudo, mas esta é uma pergunta que a pessoa precisa se fazer para saber se é realmente o momento certo para dar uma ave.

Será que uma criança tem responsabilidade suficiente para ter uma ave? Essa eu tenho certeza que não! Aves não são brinquedos.

Muitas vezes, eu imagino que as pessoas pensam que não queremos vender, pelo contrário, queremos muito vender, para alguém que realmente esteja apto a cuidar bem de uma ave, que tenha condições físicas e emocionais.

Antes de comprar, verifique se realmente é o momento certo, se é o melhor presente para dar a alguém, converse com a pessoa, tenha a certeza que ela realmente tem condições de receber e quer uma ave, explique sobre os cuidados necessários, do tempo a ser investido.

“Nossa missão não é vender aves, é encontrar um bom lar para nossos filhotes. Bons tutores fazem aves felizes e saudáveis”

Texto : Médico veterinário Helson Terra  – Criatório Aves do Brasil

 

 

 

error: Conteúdo protegido