Resenhas Críticas

Ararinha está Perdida, seu Tutor Nunca Desistiu de Encontra-la

24 de abril de 2019

author:

Ararinha está Perdida, seu Tutor Nunca Desistiu de Encontra-la

“Olá, eu sou o Zeca um Maracanã verdadeiro (Primolius maracana), anilha WPO228. Cheguei dia 25/05/17 muito sujo, mais o meu pai me recebeu com muita alegria e amor. Quando cheguei em casa no Setor Goiânia 2 em Goiânia-GO vi te tinha muitos irmãos e aos poucos tentei ganhar a confiança de todos, principalmente da Joly uma Maracanã nobre (Diopsittaca nobilis), muito ciumenta por sinal. Vim do criadouro com as penas das assas cortadas e em meados de abril de 2018 comecei a fazer minha primeira muda de penas. Como sou muito forte e curioso, no dia 09/05/18 consegui abrir a porta do meu viveiro e acabei voando não conseguindo mais retornar para minha casa. Meu pai está muito triste por ainda não ter me localizado, foi colocado cartazes nos comércios do setor, divulgado em redes sociais, grupos de whatsApp e falando de porta em porta nas imediações da minha casa. Meu pai por várias vezes levou a Joly em um parque perto de casa e ficava perguntando para as pessoas.

Se alguém souber meu paradeiro favor entrar em contato pelo telefone/whatsApp (62) 9.9996-5472 e falar com Eduardo Nozella”.

Antes de mais nada, aos tutores de primeira viagem, ou alguns mais antigos, os psitacídeos tem grande facilidade em abrir fechaduras de todo tipo, muitos tutores precisam recorrer ao uso de cadeados, algumas trancas são mais fáceis que outras, é preciso ficar atento e reforçar as fechaduras, o uso de telas no local, mesmo para as aves que ficam em gaiolas e viveiros, previne muitos casos de fuga já que mesmo escapando da gaiola ou viveiro a área esta fechada, dificultando assim que a ave se perca.

Acompanhamos esse caso desde maio do ano passado, prestes a fazer um ano, é de partir o coração, vermos semana após semana o tutor postando em diversos grupos e procurando seu filho perdido. Fico me perguntando como alguém que encontra não se compadece pela dor da família que perdeu e da própria ave que perdeu seu bando.

Para os que acompanham rede social, é comum ver pessoas que curtem o post e outras até comentam desejando sorte ou outra coisa, mas não compartilham o post que é o que de fato pode ajudar a ave e ao tutor. Quando compartilhamos aumenta a chance já que o post pode chegar tanto a quem achou como a quem sabe quem achou.

É importante frisar também que uma ave anilhada se torna muito fácil para quem tem intenção de devolver encontrar o tutor, basta procurar o órgão ambiental ou grupos e páginas sobre aves silvestres, com a informação da anilha podemos localizar o criadouro e através dele consultar para quem a ave foi vendida e acionar o tutor para fazer a devolução.

Para quem perdeu, infelizmente, pela morosidade dos órgãos públicos, alguns demoram a procurar o tutor, então, este também é um dos lugares que os tutores devem procurar: CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), Ibama, Policia Ambiental a fim de verificar se alguma ave anilhada deu entrada, já vi vários tutores que recuperaram as aves nestes lugares.

Por fim, existe uma ararinha perdida da sua família, em Goiânia/GO, acreditamos ter sido resgatada por alguém, então o que pedimos é que ajude compartilhando, mesmo que não seja da sua cidade, nos seus contatos deve ter alguém de lá ou que conhece alguém desta cidade.

Que este post chegue a quem está com ela ou sabe quem está, o tutor só quer sua ave de volta, quer que Zeca volte para casa onde foi e ainda é amado.

error: Conteúdo protegido