Resenhas Críticas

Sou um Papagaio, depois de 30 anos, tenho que ir embora!

2 de janeiro de 2019

author:

Sou um Papagaio, depois de 30 anos, tenho que ir embora!

Recebemos muitos contatos, este é um entre tantos, vai virar matéria apenas para que possa servir de reflexão para quem está passando pelo problema, ou quem pretende ter um, sempre reforço, eles podem viver até mais que 80 anos, merece consideração e respeito, não são descartáveis, não julgamos ninguém, só queremos que pensem antes de decidir trazer um para casa, para que não tenham que descartá-los depois, é um coração e uma alma guardada dentro desse corpinha frágil e emplumado.

 

Vamos a história….

“Bom dia, Adna.

Estamos em um dilema e precisamos de uma luz.
Temos um papagaio na família há mais de 30 anos. Infelizmente não podemos mais ficar com ele, ficamos muito tempo fora de casa e ele acaba ficando muito tempo preso, sem companhia e não queremos mais isso.
Vi na TV uma reportagem sobre reabilitação e soltura de animais silvestres do Instituto Vida Livre aqui no Rio de Janeiro.
O problema é que o animal deve ser entregue na CETAS RJ em Seropédica antes de passar pelo Instituto e não consigo muita informação sobre o local.
Gostaria de saber se conhece o CETAS RJ e se é confiável.
Procurando informações na internet, achei alguns comentários bons e outros ruins em relação à estrutura, falta de verba, falta de ração e etc.
Você tem algum conhecimento sobre isso?
Nosso papagaio não tem anilha, e por isso temos dificuldade de arranjar um novo lar para ele. 
Caso conheça alguém de confiança que possa adotá-lo aqui no Rio, favor entre em contato ou pelo menos nos dê uma ideia do que fazer, por favor.
Achamos o Instituto Vida Livre super confiável, mas temos muito receio de levá-lo ao IBAMA e dele não ser bem tratado ou ficar trancafiado ou outra coisa pior.
Desde já, agradeço sua atenção.
Abraços,”
RESPOSTA DO DIÁRIO DE UM PAPAGAIO
Boa Noite!
Desculpe a demora em te responder…
Vamos lá….
30 anos na família, é muitooooo tempo e é difícil te responder sem parecer rude por vezes, é que eles tem coração, se apegam, tem medo, ansiedade, tem até depressão e automutilação como os humanos, então, sempre que me vejo com um caso desse meu coração se parte em mil pedaços, porque são como um filho, confiam na gente e depois de 3 décadas já não cabem mais em nossa vida? não entenda como julgamento, mas como ele não tem voz, me sinto impelida a fazer as vezes de advogada dele.
Se pergunte primeiro se não tem mesmo jeito, se não tem como fazer um esforço, dá um jeito, revezar com as pessoas da casa antes de tomar uma decisão dessa.
Quanto a reabilitação….sinceramente, de tudo que já li, profissionais que escutei, acredito na reabilitação de papagaios jovens, não um tão pet e de 30 anos. Basta nos vermos na mesma situação, quando novos nos adaptamos e aprendemos coisas diferentes mais fácil, quanto mais velho , mais difícil de se mudar hábitos, e a vida lá fora (no mato) não é nada fácil, não é atoa que papagaio de vida livre vive em média 25 anos , contra 60 a 80 de um de cativeiro, lá fora, nem sempre tem comida, se aproximam cada vez mais da cidade a procura de alimento e abrigo, o desmatamento e queimadas estão destruindo o local deles, lá fora eles tem que se defender de predadores, quanto mais pet , mais fácil ser abatido, lá fora tem que se proteger do bicho homem, muitos que são soltos, por confiar no homem e se aproximar para ganhar comida acabam sendo pegos e só Deus sabe em que condições e locais vão parar.
Papagaios velhos e mansos quando chegam no Cetas, dificilmente vão para reabilitação, para reabilitação seguem os saudáveis e novos. Os papagaios velhos e pets que chegam no centro de reabilitação acabam indo parar em criadouros ou zoológicos, tive oportunidade de visitar um criadouro e sai com o coração partido, centenas que chamavam o nome dos seus donos, cantavam as musicas que aprenderam , muitos com depressão, se mutilando e tristes, porque nesses locais, devido a quantidade, não tem uma “pessoa da família” para pegar no colo, dar carinho, brincar de cafuné, não tem intimidade, convivência, amor, corredores de gaiolas  com papagaios de apreensão, gaiolas vazias, sem brinquedo, sem vida, ‘sem família”.
Depois de 30 anos juntos você acredita que ele merece isso?
Se eu posso te dar um conselho, se de fato, não tiver jeito, tente encontrar uma família que ame aves, que você possa conhecer, ver se vai tratar bem, de preferencia que não tenha cachorro ou gato (pode dar problema), acredito que sera o melhor caminho, falar com pessoas em rede social podem dizer que quer , pegar e vender, podem tratar de todo jeito, muita gente quer papagaio, converse com sua família e amigos, não sei sua fé, mas ore pedindo direção e que se for o jeito, que Deus mostre uma família amorosa que dê um lar para ele.
Desculpe se fui rude em algum momento, mas sempre que leio algo do tipo me faz chorar, choro por ele e por tantos que sei estar em situação semelhante, pelos que já vi serem abandonados a própria sorte (tem pessoas que simplesmente soltam), tem gente que vende, tem gente abandona num canto em casa até morrer, enfim, estarei orando e na torcida por vocês. qualquer coisa pode nos escrever sempre que quiser.
atenciosamente”
A cada um que ler esta matéria, se puder, compartilhar ajuda muito, você pode estar salvando um papagaio.
error: Conteúdo protegido